Tel: (11) 5093-3921 / (11) 96445-1045
Facebook do Dr. Paolo Linkedin do Dr. Paolo Instagram do Dr. Paolo Twitter do Dr. Paolo Canal do Youtube do Dr. Paolo

Cirurgia de enxaqueca – Entenda os diferentes tipos

Cirurgia de enxaqueca – Entenda os diferentes tipos

A cirurgia de enxaqueca é um procedimento pouco invasivo, que possui o objetivo de descomprimir os ramos dos nervos occipital e trigêmeo, que são os locais afetados pela dor durante as crises de enxaqueca dos pacientes.

Os nervos mencionados são os principais responsáveis pela sensibilidade facial, estendendo-se também ao pescoço e couro cabeludo. Os ramos desses nervos tornam-se “irritados” devido à compressão de estruturas ao redor deles, como vasos sanguíneos, ossos, músculos ou fáscias. Quando isso ocorre, há a liberação de neurotoxinas, que causam a inflamação de nervos e membranas ao redor do cérebro, levando à enxaqueca.

Como a cirurgia de enxaqueca funciona?

O nervo trigêmeo integra um dos 12 pares de nervos cranianos e, além de ser responsável por boa parte da sensibilidade da face do paciente, ainda se subdivide em três ramos, que são o oftálmico, maxilar e mandibular. Cada uma dessas estruturas também se subdivide em diversos outros ramos menores.

O princípio da cirurgia de enxaqueca é descomprimir e liberar os ramos do nervo trigêmeo, que estão sendo comprimidos, gerando as dores da Migrânea durante as crises da enfermidade. A compressão do nervo pode ser feita ao longo de toda a sua extensão por diversas estruturas que estão ao seu redor. O intuito da cirurgia de enxaqueca é liberar essas ramificações, realizando ressecções e remoções dessas estruturas.

Dependendo do local em que as dores da enxaqueca se iniciam, o especialista nestas cirurgias poderá orientar uma técnica diferente. Existem, atualmente, quatro principais formas diferentes de realizar a cirurgia de enxaqueca. São elas:

  • Cirurgia de enxaqueca frontal: é o tipo mais comumente realizado, e é indicado para pacientes que têm o início das dores da enxaqueca na região do supercílio. Ela é realizada a partir de incisões nas pálpebras superiores, como ocorre na blefaroplastia, ou no couro cabeludo;
  • Cirurgia de enxaqueca temporal: nesse tipo de cirurgia as incisões são realizadas próximas ao couro cabeludo, na região das têmporas. É indicada para os casos em que é necessário descomprimir ou ressecar parte do nervo zigomático-temporal ou aurículo-temporal. Devido a tracionar os tecidos da região temporal, a cirurgia pode ter efeito rejuvenescedor e elevação discreta das sobrancelhas, se desejado;
  • Cirurgia de enxaqueca rinogênica: é o tipo de cirurgia de enxaqueca realizado por dentro do nariz. É indicada para pacientes que apresentam dores da Migrânea que se iniciam atrás dos olhos;
  • Cirurgia de enxaqueca occipital: é a cirurgia de enxaqueca orientada para pacientes nos quais o início das dores corresponde à região de trás da cabeça ou na nuca. Essas dores, nesses casos, podem ser causadas pela irritação de diversos nervos, mas o principal é o nervo occipital maior.

Apesar de todas terem o mesmo objetivo, é fundamental uma avaliação segura, realizada por um profissional altamente qualificado, para confirmar qual das técnicas é a mais adequada. A automedicação pode ser muito prejudicial e, até mesmo, piorar o quadro da enxaqueca. Buscar um especialista é a melhor forma de iniciar um tratamento.

Agende sua consulta