(11) 5093-3921 (11) 96445-1045 Contato@drpaolorubez.com.br
Fale conosco pelo WhatsApp
Conheça o Tratamento de Enxaqueca com Botox®

Conheça o Tratamento de Enxaqueca com Botox®

Quem tem crises de dor de cabeça constantes sabe o quanto a condição é incapacitante. Entretanto, já existem protocolos de cuidados que auxiliam na redução dessas crises, sendo um deles o tratamento de enxaqueca com Botox®.

O tratamento de enxaqueca com Botox® é considerado uma forma eficaz de minimizar essas crises, sendo que este grupo de pacientes também pode cogitar a cirurgia de combate à enxaqueca crônica.

Doença é tida como incapacitante

Em 2018, a Organização Mundial da Saúde (OMS) enquadrou a enxaqueca como uma das doenças mais incapacitantes, já tendo sido identificados mais de 150 tipos diferentes de dor de cabeça, além da própria enxaqueca.

A doença afeta cerca de 15% da população brasileira, ou seja, 31 milhões de pessoas tiveram ou têm quadros constantes de enxaqueca, a maioria na faixa dos 25 aos 45 anos. As mulheres são as mais afetadas pela condição e estudos contínuos tentam dar fim a essa condição debilitante.

O protocolo de tratamento de enxaqueca com Botox® passou a ser permitido no Brasil em 2011 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sendo algo recente na medicina.

Entretanto, já ficou comprovado cientificamente que esse tratamento traz resultados apenas a pacientes diagnosticados com enxaqueca crônica, não melhorando a condição em pacientes com cefaleia tensional, conforme estudo da Faculdade de Medicina de Wisconsin, nos Estados Unidos, feita anteriormente.

Confira a seguir as explicações acerca do tratamento com informações cedidas pelo cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, que tem estudado formas de tratamento da enxaqueca com Botox® e é um dos cirurgiões que realiza a cirurgia de enxaqueca no Brasil.

Como funciona o Botox® para enxaqueca?

A toxina botulínica é oriunda de uma bactéria chamada Clostridium botulinum. Ela é capaz de bloquear os impulsos que promovem a movimentação dos músculos, sendo amplamente utilizada em tratamentos estéticos.

O tratamentoconsiste na aplicação de pequenas doses da toxina em pontos específicos—face, nuca e do pescoço. A aplicação de Botox® resulta na menor liberação dos neurotransmissores que ativam os mecanismos de dor, sendo eles: glutamato, a substância P e da acetilcolina, por exemplo.

Tratar enxaqueca com Botox® resulta no bloqueio parcial dos impulsos nervosos que desencadeiam crises de dor e promovem o relaxamento das áreas em que a migrânea crônica atinge.

O tratamento é feito em consultório médico e o paciente não precisa se afastar das atribuições diárias, sendo que ele pode retornar ao trabalho logo após o procedimento sem que ocorram reações adversas.

Tratamento de enxaqueca com Botox®
Imagem: Shutterstock

Tratamento da enxaqueca com Botox®: locais de aplicação

A aplicação do Botox® para enxaqueca é feita em nível muscular, podendo ser aplicado em cerca de 30 pontos distintos. A técnica foi desenvolvida por neurologistas e tem tido adesão por parte dos cirurgiões plásticos, devido à experiência desses profissionais com a anatomia facial e com a cirurgia para enxaqueca.

Os pontos que podem receber doses de toxina botulínica são divididos nas seguintes regiões:

  • Região frontal da face;
  • Temporal;
  • Occipital;
  • Pescoço (cervical).

As regiões da aplicação do Botox são definidas com base nos locais em que a dor se instaura em um episódio de enxaqueca, sendo todos relatados pelo paciente ao profissional de medicina.

Quanto tempo para fazer efeito?

A estimativa é que o tratamento de enxaqueca com Botox® passe a fazer efeito em torno de 15 dias após a aplicação da toxina botulínica, sendo que a duração do tratamento é de 3 a 4 meses, em média. Em sete dias, caso o paciente tenha uma crise, seus sintomas já são minimizados.

O Botox® para tratar a enxaqueca é duradouro?

Os protocolos de tratamento indicam reaplicações de 3 em 3 meses, mas este período pode ser estendido caso o paciente persista mais tempo sem dor.

É importante que o paciente diagnosticado com migrânea crônica tenha acompanhamento médico constante, pois, a condição pode resultar em perda de qualidade de vida, devido a seus sintomas. São eles:

  • Dor pulsante e persistente;
  • Sensibilidade a luz, barulho e a cheiros;
  • Irritabilidade;
  • Náuseas e vômitos;
  • Vertigem;
  • Dormência e sensação de formigamento;
  • Visão turva.

Com o tratamento de enxaqueca com Botox® os sintomas são minimizados, sendo em alguns casos totalmente cessados.

Contraindicações e reações do tratamento de enxaqueca com Botox®

Gestantes e lactantes não podem fazer o tratamento de enxaqueca com Botox®. Existe pouca probabilidade de o Botox® desencadear alguma reação adversa, sendo que já foram informadas algumas situações pontuais, sendo elas: dor no local de aplicação da toxina botulínica; dor de cabeça logo após a aplicação, inchaço e vermelhidão.

O tratamento é seguro e tem ajudado pacientes com crises severas de enxaqueca, que já tiveram prejuízos na vida profissional e pessoal, devido às dores incapacitantes e sintomas que acompanham a condição.

Caso ainda tenha restado dúvidas acerca do tratamento de enxaqueca com Botox®, agende uma consulta com o Dr. Paolo Rubez e compreenda os benefícios da toxina no combate a migrânea crônica (enxaqueca crônica).

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cefaleia;

Faculdade de Medicina de Wisconsin;

Organização Mundial da Saúde (OMS);

Anvisa.

Plástica no Nariz: Tudo que você precisa saber

Plástica no Nariz: Tudo que você precisa saber

A plástica no nariz é uma das mais procuradas nos consultórios de cirurgiões plásticos e a que mais gera dúvidas nos pacientes. Resultados, pós-operatório, anestesia e tempo de recuperação são os questionamentos mais corriqueiros.

Para minimizar as dúvidas sobre a plástica no nariz, o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez respondeu as principais sobre o tema. Leia tudo o que você precisa saber sobre a rinoplastia!

Cirurgia plástica no nariz e a miscigenação, qual a relação?

É muito comum pacientes queixarem-se do formato e do tamanho do nariz. Isso deve-se ao fato de a população brasileira ter grande miscigenação de etnias, resultando em narizes dos mais variados tipos. Os principais são:

  • Nariz adunco;
  • Romano;
  • Negroide;
  • Asiático ou curto;
  • Nariz fino e arrebitado.

A maioria desses pacientes, quando analisados de perfil evidenciam a desproporção do nariz com as demais estruturas faciais.

Logo, são aptos a realização da cirurgia plástica no nariz, a rinoplastia na linguagem médica, para minimizar o desconforto estético. Entretanto, é preciso evidenciar que a cirurgia de rinoplastia respeitará a etnia do paciente, para que o nariz tenha um formato adequado ao rosto.

Dentre essas especificações, o único formato de nariz que mais se aproxima da simetria ideal é o nariz fino e de ponta levemente arrebitada. Os demais apresentam características que muito incomodam os pacientes. Giba nasal (o famoso calombo), ponta caída, narinas muito abertas etc.

Simplificando, não adianta chegar ao consultório do cirurgião plástico e informar que o “sonho é ter o nariz de estrela de cinema”, não funciona desta forma.

A rinoplastia corrige problemas funcionais do nariz?

Sim, a plástica no nariz pode atuar na funcionalidade, melhorando a respiração. Para isso é necessário exames que identifiquem o que tem prejudicado o desempenho funcional do nariz.

Neste caso, pode ser que o cirurgião plástico conte com o apoio de um otorrinolaringologista durante a rinoplastia. Enquanto um fará o procedimento para garantir a estética perfeita do nariz, o outro se preocupará com a funcionalidade.

Quais os cuidados com a pele antes da plástica no nariz?

O paciente que será submetido a uma rinoplastia pode manter a rotina de cuidados básicos com a pele: higienização, hidratação e proteção solar. Caso esteja em processo de tratamento com ácidos ou laser, é necessário esperar a completa cicatrização.

A pele tem que estar saudável, pois, haverá manipulação dela durante o procedimento, em especial quando a técnica adotada é a rinoplastia aberta. Logo, para evitar complicações no pós-operatório da cirurgia de rinoplastia, potencializar a hidratação pode ser uma medida assertiva.

Quanto tempo demora a cirurgia plástica no nariz?

O procedimento leva, em média, três horas. O tempo dependerá do que será modificado no nariz, se será necessário o uso de enxertos, se o septo será manuseado no procedimento e demais situações que podem ocorrer durante um procedimento cirúrgico.

Qual o tipo de anestesia?

A anestesia costuma ser geral, em especial quando serão feitos procedimentos combinados, como, por exemplo, rinoplastia mais mentoplastia ou rinoplastia mais blefaroplastia.

Para amenizar possíveis quadros de dor após a plástica no nariz, pode ser combinada a anestesia local.

Paciente pronta para a realização de uma plástica no nariz
Imagem: Shutterstock

Precisa de internação após a rinoplastia?

O tempo de internação hospitalar não é superior a 24 horas e está relacionado ao tempo que o paciente precisa para recobrar os sentidos após a anestesia e verificação se não houve nenhuma reação adversa.

Quando a cirurgia plástica no nariz é combinada a outros procedimentos, pode vir a ser necessário um tempo maior de internação.

O pós-operatório da rinoplastia é dolorido?

É comum o paciente sentir certo incômodo após a plástica no nariz. A dor não é comum, mas pode ser relatada em pacientes com menor grau de tolerância.

O que pode ocorrer são hematomas nas pálpebras devido à manipulação óssea na cirurgia plástica. Ela é facilmente minimizada com o uso de compressas e para que o inchaço diminua, o cirurgião plástico pode indicar a drenagem linfática pós-cirúrgica feito por um fisioterapeuta especialista em pós-cirurgia.

De resto, a respiração começa a voltar ao normal após uma semana do procedimento, quando o inchaço começa a regredir. Em 15 dias, o processo de cicatrização está avançado, nem podendo ser percebido que houve uma intervenção cirúrgica.

O resultado da plástica no nariz é imediato?

A primeira percepção de como ficará o novo formato é possível 30 dias após a rinoplastia. Entretanto, o resultado só é visto 12 meses após o procedimento. O inchaço interno demora a cessar e pode ocorrer movimentação da cartilagem durante o longo processo cicatricial.

Nesse período, pode vir a ser necessário algumas consultas com o cirurgião plástico ao longo desse processo de recuperação após rinoplastia.

Qual o preço da cirurgia plástica no nariz?

Os valores relativos a uma plástica no nariz só são fornecidos em consultório e após análise clínica do paciente. A orientação parte do Conselho Federal de Medicina que não permite informar valores sem consulta médica.

Somado ao valor do trabalho do cirurgião plástico, o paciente deve arcar com os seguintes custos:

  • Internação hospitalar;
  • Diária em centro cirúrgico;
  • Equipe médica;
  • Anestesia;
  • Exames pré-operatórios;
  • Medicamentos;
  • Drenagem linfática;
  • Despesas com locomoção.

Logo, é necessário somar todos os custos para se ter o valor de uma plástica no nariz.  Esses são alguns dos questionamentos sobre uma rinoplastia e caso ainda tenham restado dúvidas, o Dr. Paolo Rubez pode saná-las. Basta agendar uma consulta.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica;

Revista Brasileira de Cirurgia Plástica.

Ritidoplastia: o Tratamento para Rugas

Ritidoplastia: o Tratamento para Rugas

A busca por uma estética mais harmoniosa tem sido crescente no Brasil. De acordo com uma pesquisa divulgada em 2016 pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) 6 em cada 10 brasileiros veem os gastos com beleza como uma necessidade. Logo, o tratamento para rugas acompanha essa tendência por melhorar significativamente a estética facial.

read more…

Como é feita a harmonização facial?

Como é feita a harmonização facial?

A harmonização facial popularizou-se de forma rápida no país. Por ser minimamente invasiva, a técnica ajuda tanto a tornar o rosto mais assimétrico quanto a atenuar os sinais de envelhecimento.

Mas como é feita a harmonização facial? A resposta é simples, com preenchedores podendo ser com ácido hialurônico ou com a gordura do próprio paciente. Independentemente da substância a ser utilizada, o procedimento deve ser feito por um profissional da medicina estética, sendo ele um cirurgião plástico ou dermatologista.

read more…