(11) 5093-3921 (11) 96445-1045 Contato@drpaolorubez.com.br
Fale conosco pelo WhatsApp

Tipos de tratamento para a enxaqueca

Revisado por: Dr. Paolo Rubez CRM/SP: 124773 - 6 de junho de 2019

Tipos de tratamento para a enxaqueca

Pacientes diagnosticados com enxaqueca sabem o quanto a condição pode ser desgastante. Hoje, a medicina provém mais de um tratamento para enxaqueca crônica, sendo possível até a realização de cirurgias para minimizar a condição.

É muito comum o tratamento para enxaqueca crônica ser medicamentoso, mas terapias alternativas têm apresentado resultados satisfatórios, quando acompanhado por um médico e com base nos sintomas apresentados pelo paciente.

Uma das formas de identificar o tratamento para enxaqueca crônica ou migrânea — como é denominada na linguagem médica — é com base no tipo de cefaleia.

Já os sintomas que ajudam a diagnosticar de forma efetiva o tratamento para enxaqueca crônica são:

  • Intolerância à luz ou fotofobia;
  • Intolerância a ruídos ou fonofobia;
  • intolerância a odores ou osmofobia;
  • Náuseas ou enjoos;
  • Fraqueza e tontura;
  • Sensação de formigamento e dormências no corpo;
  • Quadros de visão embaçada.

Com base nos sintomas e após a identificação do tratamento para enxaqueca crônica que melhor trará melhora na qualidade de vida do paciente, o médico pode indicar alguns tratamentos.  Conheça a seguir.

Tratamento para enxaqueca crônica

O avanço da medicina tem ajudado pacientes que sofrem com crises constantes de enxaqueca. Uma curiosidade da condição é: segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) um em cada sete adultos é diagnosticado com enxaqueca crônica. Desses, de 20 a 30% são mulheres. Diversas situações colaboram para o desenvolvimento da cefaleia, sendo necessário um acompanhamento médico efetivo para minimizar os quadros de dor.

A boa notícia é que a medicina está em constante evolução, tanto que hoje, a cirurgia surge como tratamento para enxaqueca crônica, sendo que em alguns casos, elimina por completo as crises de dor.

Cirurgia para enxaqueca

No Brasil, quem tem aptidão para a realização da cirurgia para enxaqueca é o cirurgião plástico, Dr. Paolo Rubez. Para tal, Rubez estudou em Case Western University, com Dr. Bahman Guyuron – Cleveland, EUA.

Atualmente, existem sete tipos distintos de protocolos cirúrgicos para o tratamento para enxaqueca crônica, sendo eles: frontal; temporal; aurículo-temporal; numular; rinogênico; occipital e occipital menor.

A decisão de qual metodologia a ser aplicada deve ser com base nos sintomas e região que a dor se faz presente. A indicação da cirurgia para enxaqueca leva com base alguns parâmetros como, dois ou mais episódios de enxaqueca em um mês, resistência ao tratamento medicamentoso e que relatem dois ou mais sintomas (dos acima listados) que interferem constantemente na vida social e profissional do paciente.

A cirurgia é simples, não deixa cicatrizes evidentes e os cuidados pós-operatórios são mínimos. É necessária ser feita em centro cirúrgico devidamente equipado, dura cerca de duas horas e é feita sob anestesia geral em casos mais complexos. Dependendo da região a ser feita a incisão, só é administrada a sedação com anestesia local.

A metodologia das cirurgias da enxaqueca consiste na descompressão de nervos específicos, sendo os principais responsáveis pelos quadros de dor. Para saber se é candidato a uma cirurgia para o tratamento da enxaqueca crônica, entre em contato com o consultório do Dr. Paolo Rubez e agende uma consulta.

Medicamentos

Neste ponto é importante salientar que a automedicação e em doses exageradas colaboram para o agravamento das crises de enxaqueca. Todo medicamento deve ser prescrito por um médico, neste caso um neurologista, e com base nos sintomas e tipo de migrânea que acomete o paciente.

Os remédios comuns para quem tem enxaqueca servem para cessar uma crise ou para preveni-las, e vão desde analgésicos simples comprados sem prescrição, aos analgésicos combinados, fármacos opioides, anticonvulsivos, betabloqueadores, antidepressivos e até antivertiginosos.

Como mencionado, a prescrição deve vir do médico que acompanha o paciente e a automedicação é altamente prejudicial em crises de enxaqueca. Logo, consulte um médico e faça a administração correta de medicamentos para tratar a enxaqueca crônica.

Acupuntura no tratamento de enxaqueca crônica

A técnica milenar chinesa de acupuntura pode ser um tratamento complementar aos pacientes que sofrem de crises de cefaleia. Nesta metodologia, o terapeuta identifica os pontos de bloqueio energético que colaboram no desenvolvimento das crises de dor de cabeça, sendo comum esses pontos estarem localizados na região cervical e até mesmo no fígado, sendo as duas regiões tratadas de forma conjunta.

É indicado ao paciente que faça uma dieta livre de alimentos ácidos e ultraprocessados, já que a alimentação tem relação direta no desenvolvimento de quadros crônicos de cefaleia.

Toxina Botulínica (Botox®) no tratamento da enxaqueca

O Botox® como é popularmente conhecido, é um grande aliado em pacientes em tratamento para enxaqueca crônica. Devido a sua ação paralisante, ele é aplicado em pontos específicos da cabeça e na região cervical impedindo a compressão dos nervos que provocam a dor.

É indicado ainda aos pacientes diagnosticados com cefaleia ou migrânea crônica uma mudança nos hábitos diários, que começam na alimentação e vão até à prática de exercícios físicos. Esses são apenas alguns dos tratamentos para enxaqueca crônica, para a indicação de um deles converse com um médico.

Fonte: Ministério da Saúde;

Hospital Sírio Libanês;

Hospital Israelita A. Einstein.