Fale conosco pelo WhatsApp

Quais são os tratamentos para enxaqueca?

Mulher com as mãos na cabeça, dores de cabeça - tratamento para enxaqueca
01 jul, 2021

De medicamentos preventivos à cirurgia. Saiba como tratar adequadamente o problema

 

De acordo com estudos da Sociedade Internacional de Cefaleia e da Sociedade Brasileira de Cefaleia, existem mais de 200 tipos de dor de cabeça identificados. Entre todos eles, um dos mais comuns e mais conhecidos é a enxaqueca.

Apesar de frequentemente confundida com outras cefaleias, ela tem características de dor bem específicas:

  • Manifesta-se em intensidade moderada a intensa;
  • Ocorre de um lado só da cabeça;
  • Normalmente é pulsante;
  • Dura entre quatro e 72horas;
  • Costuma ser acompanhada de outros sintomas, como náusea, vômito, tontura, sensibilidade à luz e ao barulho.

Estima-se que a enxaqueca afete cerca de 15% da população brasileira. Entre as mulheres, o problema é ainda maior: a prevalência chega a cerca de 25%, um número até três vezes maior do que o dos homens.

Um dos erros mais comuns de quem sofre com a enxaqueca é a automedicação. O uso excessivo de analgésicos provoca um aumento na frequência e na intensidade da dor, agravando a situação. Mesmo esses medicamentos sendo facilmente encontrados e comprados em farmácia, devem ser utilizados apenas quando indicados pelo médico.

Embora a enxaqueca não tenha cura, pelo fato de ser desencadeada por diversos fatores, como o consumo de determinados alimentos ou o excesso de estresse, por exemplo, existem alguns tratamentos para enxaqueca que podem ajudar a controlar a doença.

Tratamentos para enxaqueca

Quando as crises não são muito frequentes, entre os tratamentos para enxaqueca, o de escolha é o uso precoce de medicamentos específicos, que devem ser administrados quando a dor ainda é leve. Medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios, as ergotaminas e os triptanos são os mais utilizados.

Quando as crises de enxaqueca se tornam muito frequentes, deve ser feito outro tipo de tratamento, denominado preventivo. São medicações (e atitudes) que diminuem a frequência das crises e são usados diariamente por um determinado período.

Em alguns pacientes, a enxaqueca se transforma e eles passam a ter crises quase diárias. Nestes casos, a qualidade de vida é muito comprometida. Essa piora da frequência das dores pode ser causada por diversos fatores, incluindo transtornos emocionais e uso excessivo de analgésicos. As opções de tratamentos para enxaqueca, nesses casos, incluem, além dos cuidados preventivos, exercícios de relaxamento, terapia cognitiva, toxina botulínica e cirurgia.

Cirurgia para enxaqueca

Um dos tratamentos para enxaqueca que vem sendo considerado uma opção eficaz contra a enxaqueca é a cirurgia. A cirurgia de enxaqueca é hoje realizada por diversos grupos de cirurgiões plásticos ao redor do mundo e em mais de uma dezena das principais universidades americanas.

A principal indicação para o procedimento é para pacientes com enxaqueca crônica que não apresentam resultados positivos com os tratamentos clínicos (que apresentaram três ou mais episódios de dor de cabeça por mês, nos últimos três meses). Parte dos pacientes pode não responder às medicações e parte deles, devido aos efeitos colaterais limitantes, não consegue manter o tratamento.

O objetivo da cirurgia para enxaqueca é reduzir a compressão de nervos responsáveis pela sensibilidade da face, pescoço e couro cabeludo. A irritação desses nervos estimula a liberação de neurotoxinas e gera uma inflamação das estruturas ao redor do cérebro, o que causa sintomas como dor de cabeça intensa, náuseas, vômitos e sensibilidade à luz e ao som, todos típicos da enxaqueca.

Existem sete principais tipos de cirurgia para enxaqueca, a depender do local de início das dores. O procedimento pode ser feito na região frontal, temporal, rinogênica ou occipital (nuca). A frontal é a mais comum, realizada em pacientes cujo início das dores ocorre na área dos supercílios.

Na região temporal, as incisões são realizadas no couro cabeludo. Na rinogênica, a cirurgia é realizada por dentro do nariz e destinada aos pacientes que apresentam dores que se iniciam atrás dos olhos. Para quem tem dores que se iniciam na nuca, a cirurgia é feita na região occipital.

Estudos mostram que mais de 80% dos pacientes operados ficaram curados ou descreveram uma melhoria em termos de redução da frequência de crises ou da intensidade dos sintomas. Dependendo dos locais tratados, a melhora pode ser imediata ou levar de algumas semanas a meses para ser notada, sobretudo quando o acesso é feito pelo nariz.

Os tratamentos para enxaqueca devem sempre ser indicados por um especialista. É preciso cuidado com a automedicação, que pode agravar o quadro. Só um profissional capacitado pode avaliar as causas do problema e recomendar o tratamento adequado. No caso de cirurgia, o primeiro passo é procurar a indicação de um cirurgião plástico habilitado para esse tipo de procedimento.

 

Fontes

Laboratório Oswaldo Cruz

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

 

Sobre o autor
Formado na Escola Paulista de Medicina / Unifesp, é especialista em cirurgia plástica e cirurgia da enxaqueca. Além disso, passou por sete estágios em Cleveland, nos EUA, na University Hospitals, para se aprimorar em Rinoplastia.