Fale conosco pelo WhatsApp

Harmonização Facial

A chamada harmonização facial compreende um conjunto procedimentos estéticos que objetivam melhorar a harmonia e beleza da face. Este é um tratamento composto por técnicas minimamente invasivas que ajudam a tornar o rosto do paciente mais assimétrico e atenuar os sinais de envelhecimento que afetam determinadas regiões, especialmente os lábios, testa, supercílios, mandíbula, queixo, olheiras e região malar.

Indicada para homens e mulheres que desejam tornar o rosto mais assimétrico, a harmonização facial engloba procedimentos cirúrgicos e não-cirúrgicos. A definição de quais técnicas serão utilizadas é feita com base em uma avaliação criteriosa feita pelo cirurgião plástico, que se responsabiliza por analisar tanto as estruturas do rosto de maneira individual e em relação ao conjunto facial todo.

As intervenções estéticas da harmonização facial promovem o alinhamento e correção de ângulos, melhorando a proporção entre as diferentes partes do rosto e suavizando marcas na pele. Como resultado, as características individuais são realçadas e o rosto se torna mais equilibrado e com a aparência mais jovial e esteticamente agradável.

A proposta da harmonização facial é tratar diversas insatisfações estéticas de uma só vez, aprimorando e equilibrando a aparência do paciente. Homens e mulheres podem se submeter ao tratamento a partir dos 20 anos de idade, quando começam a aparecer os primeiros sinais de envelhecimento facial. Cabe ao cirurgião plástico avaliar a indicação da técnica, levando em consideração fatores como:

  • Incômodos relatados pelo paciente;
  • Pontos de melhoria facial que podem ser alcançados pela técnica;
  • Alinhamento das expectativas do paciente com a realidade oferecida pelo tratamento;
  • Identificação de outros procedimentos estéticos que podem interferir nos resultados.

Em geral, a técnica pode ser realizada por pessoas que acreditam que as estruturas de sua face não estão devidamente harmonizadas, buscando modificações como:

  • Melhoria do contorno da mandíbula;
  • Preenchimento do terço médio da face (olheiras);
  • Suavização do “bigode chinês”;
  • Preenchimento da região malas (bochechas);
  • Projeção do queixo;
  • Redução das linhas de expressão na testa ou na região próxima aos olhos;
  • Preenchimento e aumento do volume dos lábios.

O rosto apresenta pontos estratégicos que influenciam diretamente na aparência do indivíduo, tais como sobrancelhas, abaixo dos olhos, nariz, queixo, regiões que envolvem os lábios e mandíbula. Como foi explicado, o cirurgião plástico deverá analisar a assimetria facial e identificar as regiões que precisam de intervenção — seja por meio do preenchimento ou qualquer outra técnica.

Após a identificação de todos os pontos, cabe ao especialista demarcar os locais que deverão receber as substâncias referentes aos procedimentos elencados como necessários para a harmonização facial. Este é um tratamento completamente individualizado e personalizado, em que as intervenções são escolhidas e aplicadas de acordo com as particularidades do paciente.

O procedimento de harmonização do rosto deve sempre respeitar os traços e características individuais do paciente, podendo ser dividido entre três tipos. São eles:

  • Beautification: realizado em pacientes jovens e que ainda não apresentam fatores de envelhecimento na face, mas desejam tornar o rosto mais jovem e preservado. As técnicas podem ser aplicadas com o intuito de melhorar os pontos fortes do indivíduo, evidenciando sua beleza e seus contornos;
  • Antienvelhecimento: neste caso, a harmonização facial é aplicada com o intuito de retardar o envelhecimento e combater sinais como olheiras, marcas de expressão e sulco nasolabial (bigode chinês);
  • Rejuvenescimento: aplicado em pacientes com envelhecimento nítido, com bochechas caídas, lábios murchos e rugas. Neste caso, o procedimento promove um efeito de lifting, restaurando algumas estruturas que se tornaram mais flácidas com o passar dos anos.

A maioria dos procedimentos realizados na harmonização facial possui caráter minimamente invasivo, permitindo que o paciente retome suas atividades logo após sair do consultório. No caso dos procedimentos que utilizam ácido hialurônico, as chances de que ocorra uma reação adversa são mínimas, uma vez que esta é uma substância que já está presente no organismo humano.

Parte dos resultados já pode ser observada imediatamente após o término do procedimento, embora seja necessário aguardar de 15 a 30 dias para fazer uma avaliação completa do efeito alcançado. Vale lembrar que este é um tratamento estético que oferece resultados temporários e que não impedem que o envelhecimento continue agindo sobre o rosto do paciente, durando até 2 anos em média.

Passado esse período, um novo protocolo de harmonização facial pode ser necessário, embora seja comum que o segundo procedimento exija menos intervenção do que o primeiro. Para saber mais sobre este tipo de tratamento, entender como ele funciona e descobrir se é o mais indicado para você, agende uma consulta com o Dr. Paolo Rubez.