Fale conosco pelo WhatsApp

Cirurgia de enxaqueca

A Cirurgia para Enxaqueca foi desenvolvida pelo cirurgião plástico Dr Bahman Guyuron , em Cleveland nos EUA, a partir do ano 2000. Desde então diversas equipes ao redor de todo o mundo vêm realizando este tipo de cirurgia com sucesso.

Foi através de 5 estágios com Dr Bahman Guyuron, em Cleveland, entre os anos de 2014 e 2107 que o Dr Paolo Rubez aprendeu em detalhes estas técnicas cirúrgicas e todo o conhecimento necessário para realizar este tratamento.

De volta ao Brasil, Dr Paolo Rubez iniciou o tratamento cirúrgico de pacientes com Enxaqueca, visando melhorar a qualidade de vida e produtividade destas pessoas. Dr Paolo Rubez mantém contato frequente com Dr Bahman Guyuron para a troca de experiências e atualização constante nesta nova área da medicina. 

As Cirurgias para Migranea podem ser de 7 tipos principais nas seguintes regiões:

Frontal

É o tipo mais comum, e é realizado para os pacientes que têm o início das dores na região dos supercílios. Esta cirurgia é feita a partir de incisões nas pálpebras superiores, como nas Blefaroplastias, ou incisões no couro cabeludo. As cicatrizes, portanto , ficam imperceptíveis. Nestas cirurgias é realizada a ressecção ou retirada dos músculos corrugadores do supercílio, depressores do supercílio e próceros, que causam irritação aos ramos supra-orbital e supra-troclear do nervo trigêmeo. Como consequência deste procedimento os pacientes não formam mais rugas nestas áreas , contribuindo para um efeito rejuvenescedor da face.

Temporal

Neste procedimento as incisões são realizadas no couro cabeludo, e tem como objetivo descomprimir ou ressecar parte do nervo zigomático-temporal ou nervo aurículo-temporal, o qual é rotineiramente lesado em cirurgias estéticas para a fronte e cirurgias orbitais. Caso seccionado ocorre perda parcial de sensibilidade na região temporal, que pode ser temporária ou definitiva. Nesta cirurgia também ocorre efeito rejuvenescedor da face , uma vez que os tecidos da região são levemente tracionados para lateral , causando elevação discreta da sobrancelha.

Aurículo-temporal

Pacientes que apresentem dores na lateral da cabeça, ou seja, nas têmporas, podem se submeter a cirurgia para o nervo aurículo-temporal. Assim como as demais, fará a descompressão dos nervos localizados na região temporal — bem próximo à orelha—, minimizando os sintomas da enxaqueca. Em alguns casos, a condição pode ser eliminada por completo. Esta cirurgia pode ser feita sob anestesia local, com duração de cerca de 15 minutos.

Numular

A cirurgia de enxaqueca numular trata-se de um procedimento realizado sob anestesia local, com duração em torno de 15 minutos. As dores são na região do couro cabeludo, mais comumente nas laterais da cabeça. O paciente em geral consegue identificar pontualmente o local de maior dor, que é confirmado com a utilização de um doppler. Através de pequena incisão é realizada a neurotomia de pequenos ramos nervosos, sendo que a cicatriz fica disfarçada pelo cabelo.

Rinogênico

Trata-se de cirurgia realizada toda por dentro do nariz , e destinada para os pacientes que apresentam dores que se iniciam atrás dos olhos, por exemplo causadas por variações do clima. Os contatos entre o septo desviado e os cornetos ( ou carne esponjosa) ativam a cascata de dores neste caso. O intuito da cirurgia portanto é corrigir eventuais desvios ou esporões do septo, hipertrofias de cornetos ou conchas bulhosas. Esta cirurgia vai promover um pós-operatório com melhora da respiração.

Occipital

O último tipo corresponde às dores atrás da cabeça ou na nuca, que podem ser causadas pela irritação de diversos nervos, sendo o principal o nervo occipital maior. A compressão do nervo pode ser feita por músculos ou vasos. Realiza-se portanto ressecção de parte do músculo semi-espinal e descompressão do nervo em todo seu trajeto.

Occipital Menor

O nervo occipital menor, quando apresenta compressão, faz com que o paciente tenha dores na região lateral da nuca, semelhantes a uma dor muscular. Para melhorar a condição clínica do mesmo, a cirurgia realiza a neurotomia (secção) do nervo. A incisão é pequena e no couro cabeludo do paciente, não resultando em cicatriz visível, e com melhora significativa do quadro de enxaqueca na grande maioria dos casos.

Como é a recuperação ?

O pós-operatório destas cirurgias não é muito doloroso, e os pacientes apresentam um pouco de inchaço e equimose (roxidão) nos locais operados. Em geral podem retomar suas atividades diárias dentro de 7 a 10 dias, evitando apenas exercícios físicos e peso por no mínimo 1 mês.

Quais são os riscos da cirurgia ?

As Cirurgias para Enxaqueca , assim como qualquer procedimento cirúrgico, apresentam riscos. Porém complicações são extremamente raras, até por não se tratarem de cirurgias muito invasivas. Podem ocorrer sangramentos, infecções e deiscências (abertura ) dos pontos. Há risco de perda parcial de cabelos ao redor das incisões , porém em geral são temporárias. Pode haver perda da sensibilidade local , porém também são de caráter temporário na maior parte das vezes.

Quando é notada a melhora das dores ?

Dependendo dos locais tratados a melhora pode ser imediata ou levar algumas semanas a meses para ser notada, sobretudo quando envolve o nariz.

É necessário tomar as medicações para Enxaqueca após a cirurgia ?

Caso apresente crises de dor pode-se tomar as medicações habituais, desde que não contenham aspirina. Porém , a necessidade quando ocorre é muito menor.

Qual a chance de sucesso da cirurgia ?

Estudos científicos realizados pela equipe do Dr Guyuron e por outras equipes ao redor do mundo apontam para até 83 – 92 % de sucesso das cirurgias. Sucesso neste caso é definido como uma melhora de no mínimo 50 % na intensidade , frequência e duração das dores.