Fale conosco pelo WhatsApp

Qual a diferença entre dor de cabeça e enxaqueca?

Mulher coloca bolsa com gelo na cabeça para controlar dor de cabeça
28 out, 2020

A dor de cabeça é uma condição comum em que a dor pode variar de intensidade, enquanto a enxaqueca é uma condição crônica que causa dores intensas e pulsantes.

A principal diferença entre dor de cabeça e enxaqueca está na forma como cada uma delas se manifesta: enquanto a dor de cabeça pode se manifestar em diferentes intensidades e estar associada a diversas situações, a enxaqueca é uma condição crônica em que o paciente sente dor severa e pulsante. A maioria das pessoas já teve algum tipo de dor de cabeça em algum momento da vida, sendo este um incômodo passageiro e relativamente normal.

A enxaqueca, por sua vez, é uma doença primária de causas hereditárias, caracterizada pela constância na manifestação. Embora ambas as condições sejam incômodas e afetem a mesma região do corpo, a diferença entre dor de cabeça e enxaqueca é que cada uma se destaca como uma condição clínica distinta, apresentando variação também quanto aos sintomas, frequência do quadro e indicações de tratamento.

Entenda a diferença entre dor de cabeça e enxaqueca

A melhor maneira de entender a diferença entre dor de cabeça e enxaqueca é conhecendo as principais características de cada uma dessas manifestações. Confira:

O que é dor de cabeça?

Também chamada de cefaleia, a dor de cabeça é uma condição comum, que pode se manifestar em diferentes intensidades e ter variadas características. Existem mais de 150 tipos de cefaleia, sendo algumas mais frequentes do que outras, podendo aparecer sem nenhuma motivação específica. Nesses casos, ela pode estar associada ao estresse, alterações hormonais, má alimentação, cansaço ou privação de sono.

A forma como a dor de cabeça se manifesta também é bastante variável, podendo afetar qualquer região da cabeça. De modo geral, as dores de cabeça podem ser divididas em duas classes:

  • Cefaleia primária: ocorre quando a dor de cabeça não possui uma causa aparente, sendo que o problema é a dor em si;
  • Cefaleia secundária: neste caso, a dor de cabeça está associada a alguma alteração clínica — como gripe, sinusite ou qualquer tipo de alteração no organismo.

O que é a enxaqueca?

A enxaqueca é um tipo de cefaleia primária, uma vez que a dor é o aspecto mais preocupante da condição — que também recebe o nome de migrânea. A dor da enxaqueca é intensa e pulsante, geralmente concentrada em um dos lados da cabeça e com tendência a piorar quando o paciente está exposto à luz ou odores específicos.

É possível destacar como a principal diferença entre dor de cabeça e enxaqueca o fato de a segunda ser intensa a ponto de pode incapacitar o paciente, prejudicando seu desempenho em atividades rotineiras. Não se sabe ao certo o que causa as crises de enxaqueca em indivíduo, mas estima-se que elas sejam influenciadas por questões genéticas, e gatilhos externos podem provocar as crises.

Os principais gatilhos desencadeadores de crises de enxaqueca são:

  • Estresse;
  • Jejum;
  • Mudanças no horário de sono;
  • Exposição a luzes intensas;
  • Esforço físico;
  • Abuso de medicamentos.

As crises podem ser acompanhadas de sintomas secundários como náuseas, irritabilidade, fadiga, alteração no apetite e dificuldade de concentração. Quando o paciente tem crises em 15 ou mais dias do mês, por mais de 3 meses, é considerado que ele tem enxaqueca crônica.

Principais tratamentos para dor de cabeça e enxaqueca

Uma vez que há uma significativa diferença entre dor de cabeça e enxaqueca, é natural que os tratamentos recomendados para cada uma dessas manifestações sejam também diferenciados. Em geral, dores de cabeça comuns podem ser controladas com uso de analgésicos, além de medicamentos para desintoxicação — no caso de a alteração estar associada a abuso de remédios.

O tratamento da enxaqueca, por outro lado, é mais complexo e pode exigir uma abordagem multidisciplinar, que inclui mudanças na alimentação e nos hábitos. Alguns casos de enxaqueca crônica podem ser tratados com aplicação de toxina botulínica, que atua como um bloqueador neuromuscular que impede os estímulos neurais dos músculos que causam a contração e geram a dor.

Isso é possível porque a enxaqueca é desencadeada pela compressão dos ramos do nervo trigêmeo ou occipital, e a aplicação da substância promove um relaxamento. Outra opção de tratamento é a cirurgia de enxaqueca, uma intervenção cirúrgica que descomprime e libera os ramos dos nervos envolvidos na cefaleia. O procedimento precisa ser realizado por um cirurgião plástico, em ambiente hospitalar e utilizando anestesia ou sedação.

Vale lembrar que a melhor forma de identificar a diferença entre dor de cabeça e enxaqueca é por meio de uma consulta com um especialista em neurologia. Caso a enxaqueca seja confirmada e você queira saber mais sobre a possibilidade de recorrer à cirurgia, entre em contato com o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez e agende uma consulta.

 

Fonte:

Sociedade Brasileira de Cefaleia;

Associação Brasileira de Cefaleia em Salvas e Enxaqueca (ABRACES).

Sobre o autor
Formado na Escola Paulista de Medicina / Unifesp, é especialista em cirurgia plástica e cirurgia da enxaqueca. Além disso, passou por sete estágios em Cleveland, nos EUA, na University Hospitals, para se aprimorar em Rinoplastia.