Fale conosco pelo WhatsApp

Diferença entre Preenchimento e Harmonização

Mulher aplicando injeção na boca de paciente
15 fev, 2021

O preenchimento e harmonização proporcionam o rejuvenescimento e a melhora das particularidades de cada indivíduo com protocolos diferentes. Conheça-os!

Ainda que ambas as técnicas tenham como objetivo o rejuvenescimento facial através de um protocolo menos invasivo e com rápidos resultados, o preenchimento e harmonização facial apresentam alguns diferenciais quando comparados.

Enquanto o preenchimento facial é responsável pela prevenção e a melhora de sinais de envelhecimento como rugas e/ou linhas de expressão, a harmonização facial — como o próprio nome sugere — promove a melhora da harmonia e beleza da face, tornando o rosto do paciente mais simétrico, além de permitir a suavização de algumas marcas da pele.

Como resultado, o preenchimento e harmonização são capazes de proporcionar um rosto mais jovem, provocando uma melhora significativa da autoestima dos pacientes.

O que é preenchimento facial?

Também conhecido como preenchimento cutâneo, o preenchimento facial é responsável pela correção de sulcos — como o famigerado “bigode chinês” —, rugas, cicatrizes como as decorrentes de acne. Além disso, o procedimento permite a reposição volumétrica em áreas do rosto acometidas por perdas de gordura e de sustentação, provenientes do envelhecimento natural da pele.

Normalmente, o procedimento é feito com a injeção de ácido hialurônico nos pacientes, fazendo com que as regiões sejam elevadas, consequentemente, diminuindo a sua profundidade. Dessa forma, as imperfeições são reestruturadas e preenchidas, proporcionando um novo aspecto.

O preenchimento pode ser feito nas seguintes regiões:

  • Testa e têmporas;
  • Ao redor dos olhos;
  • Olheiras;
  • Maçãs do rosto;
  • Manto;
  • Mandíbula;
  • Lábios.

A aplicação do ácido hialurônico raramente causa alergias, e o preenchimento pode ser feito em conjunto com outras técnicas para melhores resultados.

Como é feita a harmonização facial?

Ao contrário do preenchimento facial — em que apenas um insumo é utilizado para a realização do procedimento —, a harmonização faz uso de diversas técnicas para que o paciente obtenha a renovação da estrutura de sua face.

A escolha dos procedimentos necessários só pode ser feita após avaliação minuciosa do cirurgião plástico no paciente, compreendendo as suas insatisfações e as mudanças que podem ser atendidas por meio da harmonização facial.

A harmonização facial é regularmente utilizada para a melhora de marcas de expressão, preenchimento de sulcos faciais e olheiras, corrigir imperfeições do nariz, definição da mandíbula, diminuição da papada e do tamanho do queixo e testa.

Par que seja possível oferecer tantas melhorias, são usados diversos protocolos — de baixa complexidade e pouco invasivos —, sendo os principais a aplicação de toxina botulínica e ácido hialurônico. Entretanto, também podem ser utilizados outros procedimentos, como:

  • Bichectomia, procedimento cirúrgico que remove parte da gordura acumulada na região das bochechas, afinando o contorno facial;
  • Microagulhamento, induzindo a produção de colágeno e de outras fibras naturais na pele, bem como o espessamento da epiderme;
  • Ritidectomia — conhecido popularmente como lifting facial —, corrigindo a flacidez da pele, oferecendo mais tônus e uma aparência mais jovem;
  • Blefaroplastia, para a correção de imperfeições nas pálpebras;
  • Peelings.

Independentemente do protocolo utilizado, tanto o preenchimento quanto a harmonização facial devem respeitar os traços e características individuais do paciente, promovendo apenas a melhora de suas individualidades.

É importante ressaltar que, assim como qualquer intervenção, o preenchimento e harmonização devem ser feitos apenas por motivação individual, sem a influência de terceiros tampouco com o objetivo de conquistar uma aparência semelhante a conhecidos ou celebridades.

Preenchimento e harmonização: qual a técnica mais adequada para mim?

Como citado anteriormente, embora sejam semelhantes, o preenchimento e harmonização são indicados de acordo com as insatisfações apresentadas pelo paciente. De qualquer forma, ambos os procedimentos são indicados para homens e mulheres acima dos 20 anos de idade, ou então que possuam sinais de envelhecimento precoce.

Para compreender as principais diferenças entre o preenchimento e harmonização, e qual o procedimento mais indicado para você, entre em contato com o Dr. Paolo Rubez e marque uma consulta!

Fontes:

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP)

Dr. Paolo Rubez

Sobre o autor
Formado na Escola Paulista de Medicina / Unifesp, é especialista em cirurgia plástica e cirurgia da enxaqueca. Além disso, passou por sete estágios em Cleveland, nos EUA, na University Hospitals, para se aprimorar em Rinoplastia.