(11) 5093-3921 (11) 96445-1045 contato@drpaolorubez.com.br
Fale conosco pelo WhatsApp

Como é feita a harmonização facial?

Revisado por: Dr. Paolo Rubez CRM/SP: 124773 - 13 de junho de 2019

Como é feita a harmonização facial?

A harmonização facial popularizou-se de forma rápida no país. Por ser minimamente invasiva, a técnica ajuda tanto a tornar o rosto mais assimétrico quanto a atenuar os sinais de envelhecimento.

Mas como é feita a harmonização facial? A resposta é simples, com preenchedores podendo ser com ácido hialurônico ou com a gordura do próprio paciente. Independentemente da substância a ser utilizada, o procedimento deve ser feito por um profissional da medicina estética, sendo ele um cirurgião plástico ou dermatologista.

Essa orientação deve-se ao fato de a face ser uma região de grande vascularização, o que requer muito conhecimento das estruturas faciais, assim como destreza no manuseio de agulhas e cânulas por parte do profissional.  Saiba a seguir como é feita a harmonização facial.

Quem pode fazer uma harmonização facial?

A técnica é bem democrática ao atender homens e mulheres. Como a intenção do procedimento é tornar pontos específicos do rosto mais assimétricos e harmônicos, jovens têm aderido à técnica, isso a partir dos 20 anos, em média.

Entretanto, o procedimento é um forte aliado daquela parcela de homens e mulheres que apresentam os primeiros sinais de envelhecimento. Os preenchedores ajudam a restaurar o volume de locais que começam a perder estruturação, ou seja, promovem o efeito lifting sem a necessidade de um bisturi.

Para a indicação da harmonização facial, o médico levará em conta alguns fatores:

  • Incômodos relatados pelo paciente;
  • Identificar outros procedimentos que possam interferir no resultado;
  • Analisar pontos que podem ser melhorados com a técnica;
  • Alinhar as expectativas do paciente com a realidade do tratamento.

Quais pontos podem ser modificados no tratamento de harmonização da face?

A face tem pontos estratégicos e que influenciam diretamente na aparência bela. Sobrancelhas, abaixo dos olhos, próximo as bochechas, regiões acerca dos lábios, queixo, nariz e mandíbula são os locais comuns para a utilização de técnicas de harmonização da face.

O cirurgião plástico vai analisar a assimetria da face e identificar quais regiões precisam ser preenchidas para que o paciente tenha uma feição mais jovial, descansada e bela.

Muitos pacientes pensam que a harmonização facial se dá com a modificação total desses pontos da face, entretanto, isso não ocorre, uma vez que a intenção é ressaltar a beleza de forma natural, não fazer uma mudança radical e exagerada no rosto do paciente.

Mulher depois de passar pela harmonização facial

Protocolo da harmonização facial

Identificados todos os pontos que geram incômodo ao paciente e a real necessidade de uma intervenção, o cirurgião plástico, em consultório, demarcará os locais que devem receber a substância.

O tratamento de harmonização facial é minimamente invasivo, mas como o preenchedor é inserido com a ajuda de agulhas ou cânulas, é necessário a aplicação de anestesia no local da aplicação para minimizar o incômodo e até mesmo dor — ressaltando que isso vai variar em cada paciente e a tolerância a dor de cada um.

Assepsia do rosto feita e a anestesia aplicada, é a hora de preencher os pontos previamente identificados. Como mencionado, uma das formas de fazer a harmonização facial é por meio do ácido hialurônico.

A substância, que é produzida em nosso organismo, tem alto poder de absorção de água, por isso tem a capacidade de preencher e volumizar, conferindo de forma instantânea resultados, sendo que pode ser dividido da seguinte forma:

  • Beautification: o paciente é jovem, não apresenta fatores de envelhecimento, porém, quer tornar o rosto mais jovem. Ele pode optar por essa metodologia, em que é procurada apenas a melhoria do que é belo. Geralmente o preenchimento é feito próximo ao osso que fica entre os olhos e a bochecha e na mandíbula, criando aquele contorno evidenciado.
  • Antienvelhecimento: a harmonização facial pode ser usada como forma de retardar o envelhecimento. Geralmente, pacientes na casa dos 30 anos lançam mão do artifício para manter-se mais jovem, melhorando questões como as olheiras e o sulco nasolabial (bigode chinês).
  • Rejuvenescimento: Em pacientes com envelhecimento nítido — as bochechas estão mais caídas, os lábios mais murchos e demais condição — a harmonização facial promove o efeito de lifting ao restaurar algumas estruturas que passaram a ficar flácidas com o passar dos anos.

Como já informado, a definição dos pontos que vão passar pelo processo de harmonização facial ocorre após a análise do médico, sempre respeitando as feições do paciente e no protocolo que trará melhor assimetria e retomada da autoestima.

Demais dúvidas acerca do tratamento

Como já mencionado, o tratamento de harmonização facial é minimamente invasivo. O paciente pode retomar as atividades cotidianas assim que sair do consultório do cirurgião plástico. É quase mínima a chance de o paciente apresentar uma reação adversa ao ácido hialurônico utilizado na técnica, logo, ele é um procedimento bem democrático.

É comum o cirurgião solicitar o retorno ao consultório para verificar a necessidade de retoques nos locais da aplicação, tudo para que o resultado seja satisfatório ao paciente. Dependendo da densidade do ativo usado no tratamento, o efeito chega a ser de até dois anos.

Passado esse período pode vir a ser necessário um novo protocolo de harmonização facial. Entretanto, tem sido relatado que no segundo procedimento a quantidade de preenchedor é bem menor, o que evidencia o potencial rejuvenescedor do tratamento com ácido hialurônico.

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia.