Fale conosco pelo WhatsApp

Toxina botulínica para rugas: Conheça o tratamento

Botox
08 dez, 2020

A toxina botulínica é uma substância altamente eficaz contra alguns efeitos causados na face pelo envelhecimento.

A toxina botulínica para rugas tem sido amplamente utilizada nos consultórios de cirurgia plástica e dermatológicos. Isso deve-se ao fato da sua eficácia como tratamento de rejuvenescimento, e até mesmo, como protocolo de prevenção ao aparecimento de linhas e marcas de expressão.

Indolor, de fácil aplicação e podendo ser complementado com outros procedimentos estéticos, hoje a aplicação de toxina botulínica para rugas já é o tratamento estético mais realizado no Brasil. Confira a seguir todas as particularidades do tratamento das rugas com toxina botulínica.

Qual o efeito da toxina botulínica para rugas?

A toxina botulínica opera como um bloqueador neuromuscular. Ao fazê-lo, impede (ainda que não totalmente) a contração dos músculos específicos da face onde é aplicado. O mecanismo que usa para tanto é interromper, parcial ou totalmente, as sinapses enviadas pelos neurônios ao músculo.

É o mesmo que faz a toxina botulínica, produzida pela bactéria Clostridium Botulinum. É ela que causa a doença chamada botulismo, que paralisa a musculatura. Mas, é claro, a toxina utilizada no procedimento é industrializada, purificada e administrada em baixas doses — portanto, não faz mal à saúde.

A medicina estética aproveitou-se do agente imobilizador para usar para o bem estético, proporcionando um aumento considerável na autoestima e confiança dos pacientes.

As linhas de expressão, grandes responsáveis pela formação de rugas na face decorrentes do envelhecimento, surgem precisamente devido à contração dos músculos. Com o uso de toxina botulínica para rugas na cauda dos olhos, por exemplo, consegue-se minimizar os pés-de-galinha que surgem quando a pessoa sorri ou fala.

Em quanto tempo a toxina botulínica começa a fazer efeito?

Após a aplicação da toxina botulínica, os efeitos rejuvenescedores na face demoram de três ou quatro dias para surgirem e serem visualmente perceptíveis. Eles permanecem entre quatro e seis meses, e após isto se faz necessário um novo procedimento.

Esse, no entanto, não é um tempo de vigência definitivo dos efeitos do tratamento de rejuvenescimento. Há variações, condicionadas por fatores como o tipo e tamanho das rugas que foram eliminadas via uso do produto, as características corporais do paciente e a quantidade do item que foi usada. Quanto mais hábil for o profissional que fizer as aplicações, melhores resultados serão obtidos.

A preservação dos efeitos da toxina botulínica para rugas por mais tempo também depende dos hábitos e cuidados do paciente. Boas condutas incluem:

  • Uso diário do protetor solar, mesmo em ambientes internos;
  • Manutenção de uma boa alimentação;
  • A prática regular de exercícios físicos;
  • Tentar não exigir muito do rosto com o emprego exagerado de expressões faciais.

Onde pode aplicar toxina botulínica no rosto?

Os locais que apresentam os melhores resultados após a aplicação da toxina botulínica para rugas são:

  • A região lateral dos olhos;
  • A testa e a área entre as sobrancelhas;
  • Queixo (em alguns casos);
  • Vincos verticais do pescoço;
  • Na boca, para a correção do sorriso gengival — aquele que mostra a gengiva superior de forma desproporcional em relação aos dentes e lábios.

Vale lembrar que existem outros traços faciais indesejados além destes, mas que não podem ser corrigidos com esse tratamento específico e sim por outros meios, como, por exemplo, o preenchimento facial com ácido hialurônico.

A aplicação da toxina botulínica para rugas é feita no consultório de um especialista do ramo, por meio de injeções da substância em locais exatos do rosto, de acordo com os problemas apresentados por cada paciente.

Por sinal, a importância de se ter um bom profissional realizando o procedimento é enorme. Logo, ao optar por fazer aplicação da toxina botulínica para rugas, o faço com um profissional qualificado e devidamente registrado em órgãos competentes, como a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Fontes:

Cirurgião Plástico Dr. Paolo Rubez;

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

 

 

Sobre o autor
Formado na Escola Paulista de Medicina / Unifesp, é especialista em cirurgia plástica e cirurgia da enxaqueca. Além disso, passou por sete estágios em Cleveland, nos EUA, na University Hospitals, para se aprimorar em Rinoplastia.