Quais são os tipos de implantes mamários?

Quais são os tipos de implantes mamários?

Ainda que a mamoplastia de aumento seja uma cirurgia plástica bastante recorrente no Brasil, alguns detalhes do procedimento são menos conhecidos, inclusive entre as pessoas que desejam realizar a inclusão de implantes mamários.

Esse é o caso de informações como material da prótese e formatos disponíveis. Essas questões são abordadas pelo cirurgião plástico nas consultas pré-cirúrgicas, nas quais essas diferenciações serão apresentadas à paciente, assim como detalhes do procedimento e a avaliação do quadro clínico.

Inicialmente é relevante saber que existem próteses de diferentes materiais. Elas são divididas basicamente em três grupos:

  • implante de gel de silicone: opção mais conhecida pelo público e também a mais utilizada em mamoplastias de aumento. Consiste em um material bastante maleável e com uma textura gelatinosa de boa consistência que o aproxima da textura dos tecidos mamários;
  • implante de poliuretano: esse tipo de prótese é composta por gel de silicone com um revestimento de poliuretano. O material que recobre a silicone destaca-se por aderir ao tecido mamário, deixando a prótese bem fixa. Essa característica, entretanto, dificulta uma cirurgia de remoção ou substituição da prótese;
  • implante de solução salina: essa opção tem a grande maleabilidade como principal vantagem, sendo que o cirurgião plástico consegue administrar o volume do líquido na dosagem mais adequada para o caso, proporcionando um resultado bastante simétrico e alinhado com as expectativas da paciente. A opção ainda não está disponível no Brasil, mas em outros países costuma ser usada para mamoplastias de aumento e reconstrutivas.

Além do material do qual é feita, a prótese pode se diferenciar pelo formato que possui, sendo uma decisão importante para o resultado final que será obtido.

Diferentes formatos dos implantes de mama

O formato da prótese mamária deve ser escolhido levando em consideração as características anatômicas da paciente e também a opinião do cirurgião plástico responsável. O formato impacta diretamente no resultado do procedimento. O implante mamário pode ser:

  • redondo: opção mais utilizada devido a grande preferência das pacientes por esse formato. Ele proporciona mais volume para a região do colo da mama (parte superior), gerando um efeito que enaltece os seios e os deixam mais marcados;
  • cônico: esse tipo de prótese proporciona projeção maior na região dos mamilos, gerando um resultado que enaltece mais a parte central da mama e menos o colo. Ainda assim, a indicação é bastante semelhante aos implantes redondos, sendo a expectativa da paciente um determinante para a escolha do formato que será adotado;
  • formato de gota ou anatômico: esse tipo de prótese foi desenvolvida com o objetivo de alcançar um resultado mais natural às mamas da mulher, sendo uma opção muito utilizada para casos de reconstrução das mamas após a mastectomia, e em pacientes que não desejam o colo muito marcado.

Quando cada um é indicado?

O material e o formato do implante mamário interferem no resultado obtido com a mamoplastia de aumento, sendo, portanto uma decisão importante a ser tomada. Ela deve ser feita considerando os objetivos da paciente com o procedimento, mas também respeitando as indicações do cirurgião plástico.

Caso a paciente queira um efeito mais natural ou mais artificial, o especialista poderá indicar qual prótese atenderá melhor aos anseios. O cirurgião plástico indica determinado tipo de implante de acordo com a anatomia da paciente.

Recomenda-se que, ao optar por uma mamoplastia de aumento haja um consenso entre a paciente e o cirurgião, para que alinhem os objetivos. Para tal, converse com o cirurgião plástico responsável.