Tel: (11) 5093-3921 / (11) 96445-1045
Facebook do Dr. Paolo Linkedin do Dr. Paolo Instagram do Dr. Paolo Twitter do Dr. Paolo Canal do Youtube do Dr. Paolo

Sintomas da enxaqueca e como tratá-la

Sintomas da enxaqueca e como tratá-la

A enxaqueca é um dos principais tipos de cefaleia, caracterizando-se, principalmente, por uma dor pulsátil de moderada a intensa, em um dos lados da cabeça, acompanhados de náuseas, vômitos, sensibilidade à luz e ao som. As crises podem durar de quatro a 72 horas, sendo muito incapacitantes para quem têm episódios recorrentes da condição.

De acordo com o Ministério da Saúde, a enxaqueca afeta de 5 a 25% das mulheres e de 2 a 10% dos homens. O problema aparece com mais frequência em pessoas que possuem entre 20 e 45 anos. Após os 50 anos a tendência é que haja uma redução das crises, principalmente entre as mulheres, por questões hormonais.

Conhecer os sintomas da enxaqueca é essencial para um diagnóstico correto e tratamento adequado que pode incluir desde a prescrição de medicamentos até a cirurgia para enxaqueca, que é um tratamento mais definitivo.

Quais os sintomas da enxaqueca?

O sintoma mais conhecido da enxaqueca é a dor de cabeça, no entanto, é relevante saber que este não é o único indício do problema. A dor de cabeça relacionada com a enxaqueca pode ter focos em diferentes locais da face e do couro cabeludo, também é frequente que apenas um dos lados da cabeça doa em cada crise.

Entre as regiões da cabeça que podem ser foco da dor estão:

  • região frontal (testa);
  • olhos e em torno deles (periorbital);
  • sobrancelhas (área superciliar), mas também abaixo ou acima delas;
  • têmporas;
  • lateralmente na cabeça (região parietal);
  • seios da face e rosto como um todo;
  • região occipital (nuca) lateral;
  • região occipital central.

A dor pode localizar-se em uma dessas regiões, em mais de uma ou migrar entre as áreas. Não é necessário que toda a cabeça esteja doendo para ser caracterizada a enxaqueca. A intensidade das dores também varia bastante entre os pacientes, sendo desde leve até incapacitar a pessoa de realizar suas atividades diárias.

Quais os sintomas da enxaqueca

Outros sintomas relacionadas com a condição são:

  • náuseas (enjôo);
  • vômitos;
  • fotofobia (sensibilidade à luz);
  • hipersensibilidade ao barulho (fonofobia) e aos cheiros (osmofobia);
  • visão embaçada e tonturas;
  • irritabilidade e mudanças de humor;
  • dificuldade de concentração;
  • coriza ou obstrução nasal;
  • tensão muscular na nuca e nos ombros.

Os pacientes diagnosticados com enxaqueca não apresentam todos os sintomas, mas a conjunção deles, assim como a intensidade podem variar, sendo necessário informar ao médico responsável todo o quadro clínico para um tratamento mais adequado.

Como evitar a enxaqueca (Migrânea)?

Também conhecida como Migrânea, a condição possui diferentes tratamentos de acordo com a intensidade das dores e recorrência das crises. Apenas um médico poderá indicar qual o melhor tratamento para o caso, mas eles podem ser:

  • medicamentoso: os medicamentos que podem prevenir a enxaqueca incluem anticonvulsivantes, betabloqueadores, antidepressivos e antivertiginosos, entretanto, apenas um neurologista poderá prescrever quais remédios devem ser tomados e com qual dose e frequência;
  • cirúrgico: um tratamento mais permanente da Migrânea é a cirurgia para enxaqueca. As técnicas se distinguem de acordo com o local de início das dores, sendo o objetivo da cirurgia descomprimir e liberar os ramos do nervo trigêmeo e occipital, que podem ser irritados pelas estruturas adjacentes ao longo do trajeto, causando a enxaqueca. A cirurgia deve ser realizada por um cirurgião plástico e dura entre 1 e 2 horas, sendo que o paciente pode receber alta no mesmo dia.

Além dos pontos citados acima, maneiras de evitar uma enxaqueca se baseiam em uma alimentação saudável e equilibrada, praticar exercícios de forma moderada e regular, evitando as principais causas dessa crise.

Caso identifique a ocorrência dos sintomas da enxaqueca com alguma frequência um médico especialista deve ser consultado visando realizar o diagnóstico correto e indicar o tratamento mais adequado para o caso.