Tel: (11) 5093-3921 / (11) 96445-1045
Facebook do Dr. Paolo Linkedin do Dr. Paolo Instagram do Dr. Paolo Twitter do Dr. Paolo Canal do Youtube do Dr. Paolo

Cirurgia de Enxaqueca

A Cirurgia para Enxaqueca foi desenvolvida pelo cirurgião plástico Dr Bahman Guyuron , em Cleveland nos EUA, a partir do ano 2000. Desde então diversas equipes ao redor de todo o mundo vêm realizando este tipo de cirurgia com sucesso.

Foi através de 5 estágios com Dr Bahman Guyuron, em Cleveland, entre os anos de 2014 e 2107 que o Dr Paolo Rubez aprendeu em detalhes estas técnicas cirúrgicas e todo o conhecimento necessário para realizar este tratamento.

De volta ao Brasil, Dr Paolo Rubez iniciou o tratamento cirúrgico de pacientes com Enxaqueca, visando melhorar a qualidade de vida e produtividade destas pessoas. Dr Paolo Rubez mantém contato frequente com Dr Bahman Guyuron para a troca de experiências e atualização constante nesta nova área da medicina. 

Cirurgia de enxaqueca

A

O que é a cirurgia para enxaqueca?

A Migranea , popularmente conhecida como Enxaqueca, é um tipo de cefaleia primária que afeta cerca de 15% da população no Brasil, sendo até 20% das mulheres e 5 a 10 % dos homens, e é tida pela Organização Mundial de Saúde (OMS ) como uma das doenças que mais incapacitam o ser humano. Por isso gera grande impacto pessoal, social e econômico para o país.

A Cirurgia para Migranea foi criada e desenvolvida pelo cirurgião plástico Dr Bahman Guyuron , em Cleveland, nos Estados Unidos , a partir do ano 2000. Dr Guyuron é um dos mais renomados cirurgiões plásticos do mundo, e realiza centenas de cirurgias na face por ano. Foi a partir de cirurgias estéticas para a região frontal, ou superior, da face que Dr Guyuron notou que seus pacientes melhoravam das dores de enxaqueca, quando as tinham antes do procedimento.

A partir de então, Dr Guyuron e sua equipe passaram a pesquisar e publicar em revistas científicas dezenas de estudos que comprovam a eficácia destes procedimentos. Hoje equipes ao redor de todo o mundo realizam estas cirurgias com grande taxa de sucesso. Tratam-se de cirurgias pouco invasivas que têm o objetivo de descomprimir e liberar os ramos do nervos trigêmeo e occipital envolvidos nos pontos de dor.

O conceito por trás dos procedimentos é de que os ramos periféricos destes nervos, responsáveis pela sensibilidade da face , pescoço e couro cabeludo, são irritados pela compressão das estruturas ao seu redor, como músculos, vasos, ossos e fáscias. Isto gera a liberação de substâncias (neurotoxinas) que desencadeiam uma cascata de eventos responsável pela inflamação dos nervos e membranas ao redor do cérebro, que irão causar os sintomas de dor intensa , náuseas, vômitos, sensibilidade à luz a ao som.


A

Quem é candidato a esta cirurgia ?

 Qualquer paciente que tenha diagnóstico de Migranea (Enxaqueca) feito por um neurologista , e que sofra com duas ou mais crises severas de dor por mês que não consigam ser controladas por medicações, ou pacientes que sofram com efeitos colaterais das medicações para dor ou que tenham intolerância a estas medicações , ou ainda os pacientes que desejam realizar o procedimento devido ao grande comprometimento que as dores causam em sua vida pessoal e profissional.

A

Como é feita a cirurgia ?

Existem 4 principais tipos de Cirurgia para Migranea, a depender do local de início das dores. Em todos estes tipos o princípio é o mesmo : descomprimir e liberar os ramos do nervo trigêmeo , que são irritados pelas estruturas adjacentes ao longo de seu trajeto.

Para cada um dos tipos de dor existem acessos diferentes para tratar os ramos do nervo, sendo todos nas áreas superficiais da face ou couro cabeludo, ou ainda na cavidade nasal. Cada cirurgia foi desenvolvida para gerar a menor alteração possível na fisiologia local.

O nervo trigêmeo corresponde a um dos 12 pares de nervos cranianos, e é responsável pela sensibilidade da face, couro cabeludo e pescoço. Ele tem 3 divisões principais : ramos Oftálmico, Maxilar e Mandibular . E cada um destes se ramifica em vários outros ramos menores.

Estas cirurgias são realizadas em ambiente hospitalar e sob anestesia geral e em alguns casos sob anestesia local. A duração de cada uma delas é de cerca de 1 a 2 horas, e o paciente tem alta no mesmo dia para casa.

Tipos de Cirurgia

 As Cirurgias para Migranea podem ser de 4 tipos principais nas seguintes regiões:

A

Frontal

É o tipo mais comum, e é realizado para os pacientes que têm o início das dores na região dos supercílios. Esta cirurgia é feita a partir de incisões nas pálpebras superiores, como nas Blefaroplastias, ou incisões no couro cabeludo. As cicatrizes, portanto , ficam imperceptíveis. Nestas cirurgias é realizada a ressecção ou retirada dos músculos corrugadores do supercílio, depressores do supercílio e próceros, que causam irritação aos ramos supra-orbital e supra-troclear do nervo trigêmeo. Como consequência deste procedimento os pacientes não formam mais rugas nestas áreas , contribuindo para um efeito rejuvenescedor da face.

A

Temporal

Neste procedimento as incisões são realizadas no couro cabeludo, e tem como objetivo descomprimir ou ressecar parte do nervo zigomático-temporal ou nervo aurículo-temporal, o qual é rotineiramente lesado em cirurgias estéticas para a fronte e cirurgias orbitais. Caso seccionado ocorre perda parcial de sensibilidade na região temporal, que pode ser temporária ou definitiva. Nesta cirurgia também ocorre efeito rejuvenescedor da face , uma vez que os tecidos da região são levemente tracionados para lateral , causando elevação discreta da sobrancelha.


A

Rinogênico

Trata-se de cirurgia realizada toda por dentro do nariz , e destinada para os pacientes que apresentam dores que se iniciam atrás dos olhos, por exemplo causadas por variações do clima. Os contatos entre o septo desviado e os cornetos ( ou carne esponjosa) ativam a cascata de dores neste caso. O intuito da cirurgia portanto é corrigir eventuais desvios ou esporões do septo, hipertrofias de cornetos ou conchas bulhosas. Esta cirurgia vai promover um pós-operatório com melhora da respiração.

A

Occipital

O último tipo corresponde às dores atrás da cabeça ou na nuca, que podem ser causadas pela irritação de diversos nervos, sendo o principal o nervo occipital maior. A compressão do nervo pode ser feita por músculos ou vasos. Realiza-se portanto ressecção de parte do músculo semi-espinal e descompressão do nervo em todo seu trajeto.

O Pós-Operatório

A

Como é a recuperação ?

 O pós-operatório destas cirurgias não é muito doloroso, e os pacientes apresentam um pouco de inchaço e equimose (roxidão) nos locais operados. Em geral podem retomar suas atividades diárias dentro de 7 a 10 dias, evitando apenas exercícios físicos e peso por no mínimo 1 mês.

A

Quais são os riscos da cirurgia ?

As Cirurgias para Enxaqueca , assim como qualquer procedimento cirúrgico, apresentam riscos. Porém complicações são extremamente raras, até por não se tratarem de cirurgias muito invasivas. Podem ocorrer sangramentos, infecções e deiscências (abertura ) dos pontos. Há risco de perda parcial de cabelos ao redor das incisões , porém em geral são temporárias. Pode haver perda da sensibilidade local , porém também são de caráter temporário na maior parte das vezes.


A

Quando é notada a melhora das dores ?

Dependendo dos locais tratados a melhora pode ser imediata ou levar algumas semanas a meses para ser notada, sobretudo quando envolve o nariz.

A

É necessário tomar as medicações para Enxaqueca após a cirurgia ?

Caso apresente crises de dor pode-se tomar as medicações habituais, desde que não contenham aspirina. Porém , a necessidade quando ocorre é muito menor.

A

Qual a chance de sucesso da cirurgia ?

Estudos científicos realizados pela equipe do Dr Guyuron e por outras equipes ao redor do mundo apontam para até 83 – 92 % de sucesso das cirurgias. Sucesso neste caso é definido como uma melhora de no mínimo 50 % na intensidade , frequência e duração das dores.

Agende sua Consulta

Preencha o formulário ao lado para agendar a sua consulta com o Dr. Paolo Rubez. Em breve entraremos em contato para confirmar.