Quais procedimentos podem ser realizados juntos da rinoplastia?

Quais procedimentos podem ser realizados juntos da rinoplastia?

É recorrente que ao procurar um cirurgião plástico com o objetivo de realizar uma cirurgia estética ou funcional o paciente tenha interesse em associar procedimentos. Uma das cirurgias que permite esse recurso é a rinoplastia.

A associação de outras técnicas com a rinoplastia é bastante comum, no entanto alguns fatores serão analisados pelo cirurgião responsável para que ele indique se a prática é possível ou não. Exames clínicos e laboratoriais, por exemplo, são necessários para garantir segurança para o paciente durante o procedimento e na recuperação.

O que considerar quando optar por associar procedimentos?

Ao escolher associar a cirurgia de rinoplastia com algum outro procedimento estético ou funcional, o paciente deve conversar com o cirurgião plástico para saber se a associação é segura e trará os resultados desejados.

O profissional, além de considerar o quadro clínico do paciente, vai analisar outros aspectos, como:

  • a associação de técnicas não pode exigir que o paciente fique mais de 6 a 7 horas anestesiado, por ser o período seguro para cirurgias;
  • a posição indicada para a realização dos procedimentos deve ser compatível;
  • as indicações de recuperação, assim como posição de repouso, devem ser semelhantes;
  • o sangramento provocado pelos procedimentos deve ser avaliado conjunta e separadamente para não colocar o paciente em risco.

Após analisar esses aspectos, o cirurgião plástico estará em condições de liberar a realização das técnicas associadas ou não. Saiba quais procedimentos podem ser realizados juntos da rinoplastia.

Rinoplastia associada ao desvio de septo

Essa associação é tão comum e recorrente que tem um nome específico, é chamada de rinosseptoplastia. O procedimento, por envolver a mesma região facial, não exige um preparo adicional por parte do paciente.

Quando realizada isoladamente, a cirurgia de correção do desvio de septo é chamada de septoplastia, na qual é realizada uma incisão interna, que não deixa cicatrizes aparentes, e tem duração de uma hora, em média.

Nos casos nos quais é associada com a rinoplastia, a cirurgia tem objetivos estéticos e funcionais, tendo uma duração de cerca de três horas. O período de recuperação é bastante semelhante, permitindo que o paciente faça um repouso único.

Rinoplastia associada à mamoplastia

A mamoplastia, tanto de redução quanto de aumento ou remodelagem, por ser realizada na região frontal do corpo, também pode ser associada com a rinoplastia. Caso realize os dois procedimentos em uma mesma cirurgia o médico deve ficar atento ao tempo, entretanto, as técnicas costumam ser simples, o que dá tranquilidade para que o cirurgião plástico as realize juntas.

Além dos benefícios relacionados com o pós-operatório no qual o repouso, dieta especial, afastamento de atividades pesadas acontece apenas uma vez, a associação dos procedimentos também tem estes benefícios.

O paciente pode realizar os exames prévios apenas uma vez, além de ter os custos reduzidos, pois equipamentos e recursos podem ser aproveitados, diminuindo o investimento que seria necessário com a realização de duas cirurgias.

Rinoplastia associada à mentoplastia

A mentoplastia, ou plástica no queixo, é uma das combinações que trazem o melhor resultado para a face do paciente, quando associada à rinoplastia. Sempre que se analisar um nariz, principalmente de perfil, o mento também deve ser levado em conta, pois as duas estruturas anatômicas têm relação íntima para a estética facial.

A mentoplastia é um procedimento rápido, com boa recuperação e que , portanto, é muito indicada para ser realizada junto à rinoplastia. Outras cirurgias como a lipoaspiração , ninfoplastia, e outras plásticas faciais também podem ser realizadas em conjunto com a rinoplastia.

Apesar da possibilidade de realizar a rinoplastia associada com outros procedimentos, apenas o cirurgião plástico responsável poderá avaliar se o paciente está apto para se submeter a essa prática. É importante, portanto, ouvir o profissional com atenção sobre a recuperação e os riscos associados.