Tel: (11) 5093-3921 / (11) 96445-1045
Facebook do Dr. Paolo Linkedin do Dr. Paolo Instagram do Dr. Paolo Twitter do Dr. Paolo Canal do Youtube do Dr. Paolo
Hábitos que podem piorar uma enxaqueca

Hábitos que podem piorar uma enxaqueca

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBC), a enxaqueca afeta cerca de 30 milhões de brasileiros, sendo 75% mulheres. A enxaqueca caracteriza-se por dores de cabeça intensas, pulsáteis e que pode ter sintomas associados, como tontura, náuseas, vômitos, sensibilidade à luz e ao som entre outros e que, muitas vezes, leva os pacientes a optarem pela cirurgia de enxaqueca. A enxaqueca pode ser desencadeada por diversos fatores, como tensionais, estresse, alimentos, esforços físicos, alterações no sono, e até mesmo pelo uso de medicamentos. As causas da enxaqueca são diversas, mas alguns hábitos ruins podem potencializar as crises de cefaleia, aumentando a frequência ou a intensidade das dores. Identificamos alguns hábitos prejudiciais, principalmente para pessoas com predisposição. Abuso de analgésicos O uso de medicamentos sem prescrição médica com o objetivo de amenizar as crises de enxaqueca muitas vezes pode ter o resultado contrário e desencadear episódios mais frequentes da enfermidade. O uso excessivo dos analgésicos ao menor indício da dor faz com que o organismo torne-se dependente da medicação, fazendo com que o remédio seja sempre necessário para alívio momentâneo das crises. Dessa forma, no longo prazo, as dores tornam-se mais recorrentes. Alimentação inadequada Pacientes que possuem crises de enxaqueca devem atentar-se bastante à qualidade da alimentação como uma forma de evitar que as ocorrências tornem-se mais frequentes. Alguns alimentos devem ser evitados, como: café; chocolate; cítricos; condimentados; bebidas alcoólicas; leite e derivados. Também é indicado não ficar longos períodos sem se alimentar. Tabagismo O tabaco já é conhecido como prejudicial ao organismo, entretanto, devido a promover alterações da circulação do sangue e enrijecimento dos vasos sanguíneos ele...
O que é enxaqueca com aura? Sintomas, causas e tratamentos

O que é enxaqueca com aura? Sintomas, causas e tratamentos

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 30 milhões de brasileiros sofrem de enxaqueca, também conhecida como Migrânea. Desse total, 64% apresentam enxaqueca sem aura, 18% com aura, 13% variam com e sem aura e outros 5% apresentam aura sem cefaleia. A enxaqueca com aura, portanto, afeta uma parcela representativa da população, entretanto, para que possa ser devidamente diagnosticada e tratada, os sintomas devem ser conhecidos para que as pessoas afetadas possam procurar ajuda médica especializada para a condição. O que é enxaqueca com aura? Diferentemente da enxaqueca tradicional, esse tipo caracteriza-se por apresentar duas fases. A primeira é a fase da aura de enxaqueca e a segunda a da dor de cabeça propriamente dita. A fase de aura surge, normalmente, antes da dor de cabeça. A aura de enxaqueca é marcada por fenômenos sensoriais, sendo o mais comum deles aqueles relacionados com a visão, causando, por exemplo, flashes de luz, visão embaçada com manchas escuras ou imagens brilhantes em ziguezague. Também é possível ocorrerem fenômenos temporários, como formigamento, dormência e perda de força. Os sintomas da aura, sejam visuais ou musculares, podem durar entre 15 e 60 minutos. Conforme a aura passe é comum que tenha início a dor de cabeça, incluindo os outros sintomas recorrentes da enxaqueca. Entretanto outras situações podem ocorrer como a aura de enxaqueca aparecer durante ou após a dor de cabeça. A aura também pode ser dissociada da dor de cabeça, em um tipo de enxaqueca sem cefaléia. Principais sintomas e causas para o problema A aura de enxaqueca, como afirmado, possui sintomas principalmente relacionados às questões visuais, mas outros indícios...
Sintomas da enxaqueca e como tratá-la

Sintomas da enxaqueca e como tratá-la

A enxaqueca é um dos principais tipos de cefaleia, caracterizando-se, principalmente, por uma dor pulsátil de moderada a intensa, em um dos lados da cabeça, acompanhados de náuseas, vômitos, sensibilidade à luz e ao som. As crises podem durar de quatro a 72 horas, sendo muito incapacitantes para quem têm episódios recorrentes da condição. De acordo com o Ministério da Saúde, a enxaqueca afeta de 5 a 25% das mulheres e de 2 a 10% dos homens. O problema aparece com mais frequência em pessoas que possuem entre 20 e 45 anos. Após os 50 anos a tendência é que haja uma redução das crises, principalmente entre as mulheres, por questões hormonais. Conhecer os sintomas da enxaqueca é essencial para um diagnóstico correto e tratamento adequado que pode incluir desde a prescrição de medicamentos até a cirurgia para enxaqueca, que é um tratamento mais definitivo. Quais os sintomas da enxaqueca? O sintoma mais conhecido da enxaqueca é a dor de cabeça, no entanto, é relevante saber que este não é o único indício do problema. A dor de cabeça relacionada com a enxaqueca pode ter focos em diferentes locais da face e do couro cabeludo, também é frequente que apenas um dos lados da cabeça doa em cada crise. Entre as regiões da cabeça que podem ser foco da dor estão: região frontal (testa); olhos e em torno deles (periorbital); sobrancelhas (área superciliar), mas também abaixo ou acima delas; têmporas; lateralmente na cabeça (região parietal); seios da face e rosto como um todo; região occipital (nuca) lateral; região occipital central. A dor pode localizar-se em uma dessas regiões, em...
Quando a cirurgia de enxaqueca é indicada?

Quando a cirurgia de enxaqueca é indicada?

A enxaqueca ou Migrânea é desencadeada pela compressão de ramos de determinados nervos da face e região occipital por algumas estruturas, tais como ossos, vasos sanguíneos, músculos etc. Na maioria das vezes, os pacientes que têm crises de dores e são diagnosticados pelos neurologistas, costumam realizar o tratamento com medicamentos. No entanto, o que nem todos sabem é que existe um tratamento cirúrgico para a enxaqueca minimamente invasivo. Somente quem já teve uma crise de Migrânea pode confirmar o quanto a dor é incômoda e limitante. De acordo com a OMS – Organização Mundial de Saúde, a enxaqueca é uma das doenças que mais incapacitam pessoas ao redor do mundo, sendo que é ainda mais frequente em mulheres. Cerca de 20% da população feminina sofre com crises de enxaqueca, enquanto, aproximadamente, 6% dos homens apresentam as dores da Migrânea. Apesar de as dores serem os principais sintomas da enxaqueca, os pacientes também costumam se queixar de: Náuseas e vômitos; Sensibilidade à luz (fotofobia); Sensibilidade ao som (fonofobia); Tonturas; Problemas de concentração, entre outros. Contudo, muitos pacientes sofrem com os sintomas da enxaqueca e têm dificuldade de controlá-los apenas com medicações, sendo nestes casos também indicada a cirurgia, pouco invasiva, de tratar a enfermidade. Como funciona a cirurgia de enxaqueca? A cirurgia de enxaqueca foi desenvolvida nos anos 2000, pelo cirurgião plástico norte-americano Dr. Bahman Guyuron. O especialista passou a notar que, após passarem por cirurgias plásticas estéticas da região frontal da face, os pacientes que tinham enxaqueca antes de realizar o procedimento relataram melhora das dores da Migrânea. A partir de então, junto com a equipe, ele passou a...
Como é realizada a avaliação para a cirurgia de enxaqueca?

Como é realizada a avaliação para a cirurgia de enxaqueca?

A cirurgia de enxaqueca é uma técnica descoberta por volta dos anos 2000 pelo cirurgião plástico Dr. Bahman Guyuron, que percebeu que os pacientes acometidos pela enxaqueca passavam a apresentar melhora após a realização de alguns procedimentos estéticos voltados para a região frontal da face. Após realizar uma série de pesquisas e estudos, o especialista e a equipe puderam compreender a relação entre as cirurgias plásticas e a melhora dos sintomas da enxaqueca. O conceito por trás da relação é de que, durante os procedimentos, os ramos dos nervos trigêmeo e occipital eram descomprimidos, devido à remoção de estruturas, como músculos, vasos sanguíneos, ossos e fáscias. Os ramos desses nervos, que são os responsáveis por boa parte da sensibilidade da face, couro cabeludo e pescoço, ao serem comprimidos por essas estruturas, passam a liberar neurotoxinas que proporcionam a inflamação de nervos e membranas ao redor do cérebro, causando os sintomas da enxaqueca (dores intensas, náuseas, sensibilidade à luz, ao som, entre outros). Quando a cirurgia de enxaqueca é indicada? O procedimento da cirurgia de enxaqueca pode ser orientado por um especialista para a maioria dos pacientes diagnosticados com Migrânea e que apresente duas ou mais crises da doença ao longo de um mês e que apenas a administração de medicamentos não se mostra eficiente. A técnica também pode ser indicada para pacientes que sofrem reações, efeitos colaterais ou tenham algum tipo de contra-indicação à medicação. Além disso, o procedimento também pode ser solicitado pelos pacientes que, devido às fortes dores e demais sintomas, têm a vida social comprometida pelas crises de enxaqueca, afetando, inclusive o lado profissional. No entanto,...
O que é a cirurgia de enxaqueca temporal?

O que é a cirurgia de enxaqueca temporal?

A Migrânea, mais popularmente conhecida como enxaqueca, é uma das doenças que mais incapacita homens e mulheres, segundo dados da OMS. Apesar de afetar aproximadamente 15% da população, a enfermidade tem tratamento por meio da cirurgia de enxaqueca. O tratamento cirúrgico da enxaqueca foi descoberto nos anos 2000 pelo cirurgião plástico Dr. Bahman Guyuron, em Cleveland, nos Estados Unidos. O especialista passou a receber relatos de pacientes que sofriam de enxaqueca e, após realizarem alguns procedimentos estéticos na face, apresentaram melhoras nos sintomas da doença. Após diversos estudos, o cirurgião e a equipe concluíram que algumas cirurgias plásticas eram eficientes para o tratamento da Migranea. Como funciona a cirurgia da enxaqueca? A cirurgia de enxaqueca consiste em procedimentos pouco invasivos, realizados pelo cirurgião plástico com o intuito de promover a descompressão dos ramos dos nervos trigêmeo e occipital, que são os responsáveis por boa parte da sensibilidade da face, pescoço e couro cabeludo. Esses ramos tornam-se irritados ao serem pressionados por estruturas, como músculos, vasos sanguíneos, ossos e fáscias. Essa irritação ocasiona a liberação de neurotoxinas, substâncias que promovem uma série de inflamações em nervos e membranas do cérebro, gerando as dores da enxaqueca. As análises e pesquisas do Dr. Bahman Guyuron, juntamente com a equipe dele, permitiram chegar ao conceito de que, como os procedimentos estéticos incluíam a remoção de algumas dessas estruturas, eles são eficientes, também, para o tratamento da Migranea. A partir de então, passaram a realizar os procedimentos especificamente com esse foco. A cirurgia de enxaqueca pode ser feita de quatro maneiras diferentes, levando em consideração, principalmente, o local em que as dores iniciam durante...