Enxaqueca crônica – mitos e verdades

Enxaqueca crônica – mitos e verdades

Muitos portadores de Migranea pesquisam sobre a condição que os afeta e acabam confusos com diversos mitos da enxaqueca crônica que dificultam entender o que realmente é verdade sobre essa condição, como ela pode ser diagnosticada e tratada. Identificamos diferentes verdades e mitos sobre a enxaqueca crônica e preparamos uma lista com as principais informações sobre essa condição. Confira! Mitos da enxaqueca crônica Conheça cinco mitos da enxaqueca crônica e descubra o que é verdade ou não sobre essa doença que atinge milhões de pessoas no mundo. Dor de cabeça crônica pode ser sintoma de tumor ou aneurisma cerebral: MITO Pacientes que têm dor de cabeça crônica há muitos anos e com dor intensa podem ter receio de que ela seja um sintoma de um tumor ou aneurisma cerebral. No entanto, isso não ocorre. Caso o paciente esteja de fato com um aneurisma ou tumor, ainda que os sintomas iniciais possam sugerir enxaquecas, é provável que em poucas semanas surjam outros sintomas neurológicos. Crianças não sofrem com a enxaqueca: MITO Apesar de muitas pessoas acreditarem que a enxaqueca é um problema que afeta apenas adultos, estima-se que entre 4% e 8% das crianças sofram com essa doença. Ela costuma aparecer aos 5 anos, em média, e desaparece espontaneamente na puberdade em 40% dos casos. Enxaqueca crônica não tem tratamento: MITO A enxaqueca possui diversos tipos de tratamento que permitem reduzir a quantidade e intensidade das crises, como medicamentoso, alternativo, com toxina botulínica ou cirurgia para enxaqueca. Apenas um médico especialista pode prescrever o tratamento mais adequado para o paciente. Pode-se tomar analgésicos para cefaléia sem indicação médica: MITO Apesar...
5 dicas para evitar a enxaqueca

5 dicas para evitar a enxaqueca

A enxaqueca é um tipo de cefaleia que, embora seja comumente confundida com a dor de cabeça comum, é mais severa e pode impactar negativamente ma vida dos pacientes, sobretudo a enxaqueca crônica. Ainda que tenha tratamento, tanto medicamentoso quanto cirúrgico, a enxaqueca não pode ser completamente evitada, sendo importante conhecer os sintomas para distinguí-la de outras formas de cefaléia. A patologia é caracterizada por dor latejante entre 4 a 72 horas seguidas e pode vir acompanhada de náusea, vômito, sensibilidade à luz e a barulhos. Na enxaqueca crônica esses sintomas ocorrem com uma frequência elevada, com dores de cabeça quase que diárias. Devido aos severos sintomas relacionados com a enxaqueca, seguir alguns bons hábitos para evitá-la é a opção de muitos pacientes diagnosticados com a condição. Conheça 5 dicas para ajudar a evitar a enxaqueca. 1 – Mantenha uma alimentação saudável O primeiro passo para evitar crises frequentes de enxaqueca é manter uma alimentação saudável e bem regulada. Muitas horas sem comer é um grande vilão para quem sofre da condição, portanto, uma alimentação adequada pode ajudar. Existem alguns alimentos que são contraindicados como cafeína, refrigerantes, embutidos, chocolate, vinho tinto e queijos amarelos se forem “gatilhos”para a dor. Por sua vez, alimentos como gengibre, pimenta, leite, ovos e ricos em vitamina B podem ajudar. Beber bastante água também é indicado. 2 – Realize atividades físicas As atividades físicas são importantes para todas as pessoas, no caso dos portadores de enxaqueca são ainda mais relevantes. O indicado é optar por atividades físicas mais leves como caminhadas, natação, alongamentos, yoga e pilates. Caso esteja sofrendo de uma crise de enxaqueca,...
Hábitos que podem piorar uma enxaqueca

Hábitos que podem piorar uma enxaqueca

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBC), a enxaqueca afeta cerca de 30 milhões de brasileiros, sendo 75% mulheres. A enxaqueca caracteriza-se por dores de cabeça intensas, pulsáteis e que pode ter sintomas associados, como tontura, náuseas, vômitos, sensibilidade à luz e ao som entre outros e que, muitas vezes, leva os pacientes a optarem pela cirurgia de enxaqueca. A enxaqueca pode ser desencadeada por diversos fatores, como tensionais, estresse, alimentos, esforços físicos, alterações no sono, e até mesmo pelo uso de medicamentos. As causas da enxaqueca são diversas, mas alguns hábitos ruins podem potencializar as crises de cefaleia, aumentando a frequência ou a intensidade das dores. Identificamos alguns hábitos prejudiciais, principalmente para pessoas com predisposição. Abuso de analgésicos O uso de medicamentos sem prescrição médica com o objetivo de amenizar as crises de enxaqueca muitas vezes pode ter o resultado contrário e desencadear episódios mais frequentes da enfermidade. O uso excessivo dos analgésicos ao menor indício da dor faz com que o organismo torne-se dependente da medicação, fazendo com que o remédio seja sempre necessário para alívio momentâneo das crises. Dessa forma, no longo prazo, as dores tornam-se mais recorrentes. Alimentação inadequada Pacientes que possuem crises de enxaqueca devem atentar-se bastante à qualidade da alimentação como uma forma de evitar que as ocorrências tornem-se mais frequentes. Alguns alimentos devem ser evitados, como: café; chocolate; cítricos; condimentados; bebidas alcoólicas; leite e derivados. Também é indicado não ficar longos períodos sem se alimentar. Tabagismo O tabaco já é conhecido como prejudicial ao organismo, entretanto, devido a promover alterações da circulação do sangue e enrijecimento dos vasos sanguíneos ele...
O que é enxaqueca com aura? Sintomas, causas e tratamentos

O que é enxaqueca com aura? Sintomas, causas e tratamentos

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 30 milhões de brasileiros sofrem de enxaqueca, também conhecida como Migrânea. Desse total, 64% apresentam enxaqueca sem aura, 18% com aura, 13% variam com e sem aura e outros 5% apresentam aura sem cefaleia. A enxaqueca com aura, portanto, afeta uma parcela representativa da população, entretanto, para que possa ser devidamente diagnosticada e tratada, os sintomas devem ser conhecidos para que as pessoas afetadas possam procurar ajuda médica especializada para a condição. O que é enxaqueca com aura? Diferentemente da enxaqueca tradicional, esse tipo caracteriza-se por apresentar duas fases. A primeira é a fase da aura de enxaqueca e a segunda a da dor de cabeça propriamente dita. A fase de aura surge, normalmente, antes da dor de cabeça. A aura de enxaqueca é marcada por fenômenos sensoriais, sendo o mais comum deles aqueles relacionados com a visão, causando, por exemplo, flashes de luz, visão embaçada com manchas escuras ou imagens brilhantes em ziguezague. Também é possível ocorrerem fenômenos temporários, como formigamento, dormência e perda de força. Os sintomas da aura, sejam visuais ou musculares, podem durar entre 15 e 60 minutos. Conforme a aura passe é comum que tenha início a dor de cabeça, incluindo os outros sintomas recorrentes da enxaqueca. Entretanto outras situações podem ocorrer como a aura de enxaqueca aparecer durante ou após a dor de cabeça. A aura também pode ser dissociada da dor de cabeça, em um tipo de enxaqueca sem cefaléia. Principais sintomas e causas para o problema A aura de enxaqueca, como afirmado, possui sintomas principalmente relacionados às questões visuais, mas outros indícios...
Sintomas da enxaqueca e como tratá-la

Sintomas da enxaqueca e como tratá-la

A enxaqueca é um dos principais tipos de cefaleia, caracterizando-se, principalmente, por uma dor pulsátil de moderada a intensa, em um dos lados da cabeça, acompanhados de náuseas, vômitos, sensibilidade à luz e ao som. As crises podem durar de quatro a 72 horas, sendo muito incapacitantes para quem têm episódios recorrentes da condição. De acordo com o Ministério da Saúde, a enxaqueca afeta de 5 a 25% das mulheres e de 2 a 10% dos homens. O problema aparece com mais frequência em pessoas que possuem entre 20 e 45 anos. Após os 50 anos a tendência é que haja uma redução das crises, principalmente entre as mulheres, por questões hormonais. Conhecer os sintomas da enxaqueca é essencial para um diagnóstico correto e tratamento adequado que pode incluir desde a prescrição de medicamentos até a cirurgia para enxaqueca, que é um tratamento mais definitivo. Quais os sintomas da enxaqueca? O sintoma mais conhecido da enxaqueca é a dor de cabeça, no entanto, é relevante saber que este não é o único indício do problema. A dor de cabeça relacionada com a enxaqueca pode ter focos em diferentes locais da face e do couro cabeludo, também é frequente que apenas um dos lados da cabeça doa em cada crise. Entre as regiões da cabeça que podem ser foco da dor estão: região frontal (testa); olhos e em torno deles (periorbital); sobrancelhas (área superciliar), mas também abaixo ou acima delas; têmporas; lateralmente na cabeça (região parietal); seios da face e rosto como um todo; região occipital (nuca) lateral; região occipital central. A dor pode localizar-se em uma dessas regiões, em...
Quando a cirurgia de enxaqueca é indicada?

Quando a cirurgia de enxaqueca é indicada?

A enxaqueca ou Migrânea é desencadeada pela compressão de ramos de determinados nervos da face e região occipital por algumas estruturas, tais como ossos, vasos sanguíneos, músculos etc. Na maioria das vezes, os pacientes que têm crises de dores e são diagnosticados pelos neurologistas, costumam realizar o tratamento com medicamentos. No entanto, o que nem todos sabem é que existe um tratamento cirúrgico para a enxaqueca minimamente invasivo. Somente quem já teve uma crise de Migrânea pode confirmar o quanto a dor é incômoda e limitante. De acordo com a OMS – Organização Mundial de Saúde, a enxaqueca é uma das doenças que mais incapacitam pessoas ao redor do mundo, sendo que é ainda mais frequente em mulheres. Cerca de 20% da população feminina sofre com crises de enxaqueca, enquanto, aproximadamente, 6% dos homens apresentam as dores da Migrânea. Apesar de as dores serem os principais sintomas da enxaqueca, os pacientes também costumam se queixar de: Náuseas e vômitos; Sensibilidade à luz (fotofobia); Sensibilidade ao som (fonofobia); Tonturas; Problemas de concentração, entre outros. Contudo, muitos pacientes sofrem com os sintomas da enxaqueca e têm dificuldade de controlá-los apenas com medicações, sendo nestes casos também indicada a cirurgia, pouco invasiva, de tratar a enfermidade. Como funciona a cirurgia de enxaqueca? A cirurgia de enxaqueca foi desenvolvida nos anos 2000, pelo cirurgião plástico norte-americano Dr. Bahman Guyuron. O especialista passou a notar que, após passarem por cirurgias plásticas estéticas da região frontal da face, os pacientes que tinham enxaqueca antes de realizar o procedimento relataram melhora das dores da Migrânea. A partir de então, junto com a equipe, ele passou a...